Porque é que a Mercedes está a dominar a F1? Duas palavras: Split Turbo

Quando as regras da Fórmula 1 mudam, é normal que existam grandes mexidas nas grelhas. As equipas que outrora eram competitivas passam a ser menos enquanto que as que estavam acostumadas a ficar a meio da tabela, passam a ocupar os lugares do pódio. 

Lembram-se em 2009 quando as regras da Fórmula 1 mudaram e a equipa estreante Brawn GP (nascida das cinzas da equipa da Honda) dominaram completamente a primeira metade do campeonato? Tudo isso foi graças a uma interpretação das regras que deu origem a um difusor traseiro que aumentava muito a downforce do carro. 

Desta vez quem está a dominar a F1 é a Mercedes AMG Petronas. Lewis Hamilton e Nico Rosberg teimam em sair dos dois primeiros lugares e tudo se deve a uma interpretação das novas regras que deu origem a uma solução de engenharia que trouxe grandes vantagens em todos os aspectos do carro, tornando-o assim bastante superior à concorrência.


Tudo está na forma de como a Mercedes AMG olharam para o Turbo. Um turbo normal é composto por um compressor de ar e uma turbina. Estes dois componentes costumam estar juntos na parte de trás do motor, pois é pela traseira que sai os fumos de escape. Quando os fumos entram na turbina, fazem girar o compressor de ar e este aquece bastante. Como o ar está demasiado quente, não pode ir logo para dentro do motor e sendo assim, é preciso arrefecê-lo. Só depois é que o ar é colocado dentro da câmara de combustão. É por causa deste percurso, que existe a latência do turbo.

O que a Mercedes AMG Petronas fez foi separar o compressor de ar do turbo, colocando o compressor na parte da frente do motor. Porquê? Porque assim a peça que gera mais calor é arrefecida pela entrada de ar enorme que os F1 têm em cima da cabeça do condutor. O resultado? Existe menos tubos a levar o ar para os radiadores, baixando o peso e o Turbo Lag. Para além disso, os radiadores que serviam para refrigerar o ar vindo do turbo e o motor podem ser mais pequenos e leves fazendo a carroçaria mais estreita e aerodinâmica. 

Mas os benefícios não param aqui. Como o compressor de ar está na frente, a caixa de velocidades pode ser instalada muito mais próxima do motor melhorando a distribuição de peso no carro. Desta forma, o carro tem um comportamento muito melhor em curva. E como a caixa de velocidades já não está no sítio onde era suposto estar fez com que a carroçaria mais estreita, melhorando a aerodinâmica. 

É incrível como uma simples ideia, despoletou mais um outro conjunto de ideias que melhoraram grandemente o carro. Na verdade, até tenho pena desta ideia ser tão genial, porque desta forma, as outras equipas de F1 não vão conseguir modificar os seus carros ainda para 2014, fazendo com que esta seja uma das temporadas mais aborrecidas da história da F1.

Enviar um comentário

Mensagens populares